quarta-feira, janeiro 25, 2006

Amor que pertence sempre à dimensão do milagre

"A vida é aberta por natureza ainda que naqueles que ergueram uma barreira em torno de si próprios pareça mais obscura do que uma masmorra. O latejar da vida exige apenas um interstício, apenas o espaço de que um latejar necessita para continuar a viver, e através dele pode agarrar-se a plenitude de um encontro, como as grandes marés podem infiltrar-se mesmo nas represas mais fortificadas. Ou uma doença pode ser a abertura, ou o transbordar de um milagre qualquer da vida: uma pessoa que nos ame apesar do nosso ensimesmamento, como uma gota que batesse incessantemente contra os altos muros. Então a pessoa que estava mais só e fechada pode ser ela própria a mais capaz por ter sido quem suportou por mais tempo essa grave carência. Motivo pelo qual são muitas vezes os que maior orfandade sofreram que mais cuidado têm com a pessoa amada. Amor que nunca se tem como certo, que pertence sempre à dimensão do milagre."

Ernesto Sabato

1 Comments:

At 6:53 da tarde, Anonymous Anónimo said...

That's a great story. Waiting for more. »

 

Enviar um comentário

<< Home